Category Archives: Economia

PEC 2010-2013

As principais medidas apresentadas pelo Governo socialista, para controlar as contas públicas até 2013.

DESPESA

TGV ADIADO: construção das linhas de alta velocidade entre Lisboa/Porto e Porto/Vigo são adiadas durante dois anos.

CORTE NO INVESTIMENTO PÚBLICO: o peso do investimento público no PIB vai cair de 4,2% em 2009 para 2,9% em 2013.

SALÁRIOS CONGELADOS: os funcionários públicos vão ter aumentos salariais abaixo da inflação até 2013.

APOIOS À ECONOMIA: algumas das medidas anti-crise, como o alargamento do subsídio de desemprego e o subsídio de contratação de jovens, vão ser retiradas já em 2011.

TECTO MÁXIMO PARA BENEFÍCIOS FISCAIS E DEDUÇÕES: os contribuintes vão passar a ter um tecto máximo para os montantes dos benefícios e deduções fiscais de que poderão beneficiar.

CORTE NAS PRESTAÇÕES SOCIAIS: o Governo vai cortar em 0,5% os gastos com prestações sociais até 2013.

RECEITA

NOVO ESCALÃO DE IRS: o Governo cria um novo escalão de IRS de 45% para quem tenha rendimentos anuais superiores a 150 mil euros. A nova taxa será temporária e vai durar até 2013. Estas medidas incidem já sobre os rendimentos obtidos em 2010.

TRIBUTAÇÃO DAS MAIS-VALIAS DA BOLSA: os contribuintes que detenham acções há mais de um ano vão perder a isenção e passar a estar sujeitos a uma taxa de 20%.

PRIVATIZAÇÕES: Esta será a principal via para reduzir a dívida pública. O Governo prevê um encaixe de 6 mil milhões de euros de receitas.

@Diário Económico

Quando há referendo, o caso muda de figura.

Ontem realizou-se na Islândia, a primeira consulta popular. Neste escrutinio, o governo islandês, decidiu dar a voz ao povo, sobre o pagamento das dividas do banco ICESAVE ao Reino Unido e à Holanda. A resposta dos islandeses, foi clara, 93, 3 %, disse não,  ao pagamento de 2, 5 mil milhões à Inglaterra e 1,3 mil milhões à Holanda, por estes terem compensado, cerca de 340 000 dos seus cidadões lesados pela a falência do banco islandês. 

Por cá se houvesse um referendo, para saber se o Estado deve ou não compensar financeiramente, os clientes do BPP que perderam o seu dinheiro, não duvido que a resposta seria  idêntica. Porque quem deposita o seu dinheiro nos banco privados, sabe o risco que corre,  ora pode ganhar, ora pode perder tudo. Se ganha, os lucros serão somente para si, se perde, não somos nós(Estado) que devemos ressarcir o montante perdido por estes clientes, devido à incompetência de gestores dos bancos(pagos a preços de ouro), que utilizam as poupanças dos clientes em investimentos de risco.

2008- O ponto de viragem?

 Desde 1991, com a implosão da União Soviética, esta ordem económica Neo-Liberal vigora, como se fosse a única alternativa eficaz para humanidade. Mas a crise que começou a engendrar-se nos anos 90, e que culminou com o colapso da economia em 2008, atirando para o desemprego, milhares de trabalhadores em todo mundo, demonstrou o contrário. É neste momento, que penso que devemos repensar as politicas macroeconómicas, a reforma das instituições financeiras( FMI, BM), e o papel do Estado na Economia. Está mais que provado, que esta ordem económica fracassou, que beneficiou apenas alguns, e prejudicou milhões. Como afirma Jean-Paul Fitoussi, a justiça social não é obstáculo à eficácia económica, nem a abertura dos paises ás trocas internacionais, mas sim o discurso retórico de legitimidação  com que capitalismo liberal e dominador trata as democracias, os direitos humanos, a politica, acusado-os de serem obstáculos ao desenvolvimento, quanto na verdade, o obstáculo ao desenvolvimento são as politicas provenientes do capitalismo, que exclui pessoas, divide sociedades, provoca probreza e conflitos entre classes.

Vítor Constâncio muda-se para Frankfurt

O Governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, viu toda a sua incompetência, reconhecida. A sua nomeação esta semana para Vice-Presidente do Banco Central Europeu, tem tanto de anedótica como de surpreendente, tendo em conta, incompetência evidenciada por este, enquanto Governador do Banco de Portugal, especialmente no caso do BPN, em que Banco de Portugal sob a sua liderança falhou inexplicavelmente numas das suas principais funções: a supervisão aos Bancos. Com esta nomeação, Vítor Constâncio verá também a sua folha salarial melhorada, passando de uma remuneração mensal de cerca de 17 mil euros para 21 mil euros.

Paralelismo entre o bêbedo e a economia

O capitalismo é como um bêbado que não consegue andar em linha recta, e vive num permanente estado de auto negação sobre os efeitos da liquidez. O ébrio, quando não bebe, treme e, quando bebe, exagera e cai. Assim, anda o mercado. A falta de liquidez atualmente é tão forte que os bancos não querem emprestar dinheiro com medo de perder, enquanto o mercado agoniza e ameaça não pagar por falta do precioso liquido

@http://www.investmax.com.br/

O pai da economia moderna, morre aos 94 anos

Faleceu hoje, Paul Samuelson, considerado unanimemente  um dos mais próficuos economistas dos últimos 50 anos.O seu trabalho foi importante para decifrar e compreender os fenómenos que ocorriam na economia. A sua obra, sobre a análise matemática ao equilíbrio entre preço e oferta e procura na economia, foi fundamental na compreensão das vantagens, que as trocas comerciais poderiam proporcionar, através da especialização dos paises, nos factores produtivos, que produziam mais eficientemente e com baixo custo de produção.

As suas obras, são hoje em dia, objecto de estudo de milhares de estudantes, por este mundo fora.  

Obama Investe em Carros Eléctricos


O Presidente Barack Obama anunciou esta quarta-feira,o investimento de 2,4 mil milhões de dólares em carros eléctricos, na tentativa de reconstruir a economia americana, que continua a perder postos de trabalho.

Sempre os mesmos…

Enquanto a empresa lucra, os ganhos privatizam-se, a intervenção do estado não é necessária, tendo, os monopólios toda a liberdade para investir os seus lucros, em coisas essenciais, para o bem-estar da sociedades, como por exemplo:

Carros de Luxo

Viagens de Luxo Casinos

Quando a empresa já não lucra, dá prejuízo ou está em vias de insolvência, o monopólio vê a socialização do prejuízo, como única salvação, tendo como resultado:

Os Estados já podem intervir


A dinheiro dos contribuintes, “para compensar” a ganância e a incompetência de alguns

A probreza agrava-se


Shopping

George Soros


Como dizia, François Mitterrand, há pessoas que conseguem “enriquecer a dormir”, o caso de George Soros, é um exemplo disso. Em 1969, George Soros, fundou a Quantum Fund, em 1992, já era um dos homens mais poderosos do mundo. Como conseguiu? Através da especulação nos mercados. Em 1992, surgiu oportunidade ideal, com adesão da Grã-Bretanha ao Mecanismo de Taxas de Câmbio do Sistema Monetária Europeu (SMN), um sistema de câmbio fixos, que se pretendia servir de intermédio, para a implantação de uma moeda única. A Grã-Bretanha entrou neste SME, provavelmente, com uma taxa de câmbio demasiado alta, mergulhada numa profunda recessão, e enfrentando uma enorme insatisfação popular, o governo britânico tentou a todo custo manipular a opinião pública, acerca da permanência ou não da Grã-Bretanha no SME, Soros, viu neste foco instabilidade política e económica, a oportunidade para ganhar mais de um milhão de dólares, em rápidos ganhos capitais, como?
A primeira fase, consistiu, na criação de linhas de crédito, que lhe permitiu adquirir de empréstimo, o equivalente em libras a 15 mil milhões de dólares, para depois converter essa soma em dólares, quando se verificou que fundo, estava abundantemente em dólares, e curto em libras, Soros usou na segunda fase, a sua astúcia, para dar entrevistas especuladoras, nas quais acreditava, que a libra estava próxima de desvalorizar, estas manobras, desencadearam uma enorme pressão sobre a libra, por parte de outros investidores, obrigando o governo britânico a desistir da luta e a desvalorizar a libra. Passados umas semanas, na tentativa de defender a libra nos mercados externos de câmbio, o governo britânico, consumiu, perto 50 milhões de dólares, mas em vão. Em meados de Setembro, o governo decidiu aumentar as taxas de juros, uma medida, que se revelou um fracasso. Grã-Bretanha, optou pouco depois, por sair do SMN, deixando a libra a flutuar, até aos dias de hoje. Estava consumado o golpe de George Soros.

Retirado do livro de Paul Krugman”O Regresso da Economia da Depressão e a Crise Actual”

Maquiladoras:Um negócio rentável…

No Norte do México, há mais de um milhão de mexicanos que trabalham em mais de 3.000 maquiladoras, que produzem e exportam peças e produtos, do Norte do México para os Estados Unidos, através sobreexploração de mão-de-obra barata, aproveitando ainda, a inexistência de barreiras comerciais, devido ao Acordo de Livre Comércio Norte-Americano ( NAFTA), entre México e EUA, tornando-se um negócio rentável para as multinacionais americanas, que assim conseguem maximizar os seus lucros, à custa da exploração dos trabalhadores, com baixa qualificação.

O que são Maquiladoras?

As maquiladoras surgiram no Norte do México na década de 60, na proximidade da fronteira com os E.U.A. No início e finais da década de 90, havia aproximadamente 2.000 maquiladoras, que empregava cerca de 500.000 trabalhadores. Em poucos anos, o número de maquiladoras e o número de trabalhadores duplicou. A maioria destes trabalhadores, é obrigado a viver em favelas, sem electricidade e sem água potável, próximas das fábricas. As maquiladoras produzem principalmente, equipamentos electrónicos, vestuário, plásticos, móveis, electrodomésticos, automóveis e peças, sendo, que 80% desta produção, é posteriormente, transferida para os Estados Unidos a baixos custos de produção. Por esta razão, as multinacionais americanas, que detêm as maquiladoras vêm aumentando o seu capital humano. A maioria deste capital humano, tem baixa escolaridade, que desconhecem a existência de sindicatos (só é permitido um sindicato oficial, que é o do governo), e onde são submetidos, a cargas horárias de trabalho, que chega, até às 75 horas por semana. Estas maquiladoras, são em grande parte, responsáveis pelo aumento significativo da poluição industrial e dos danos ambientais na região Norte do México. A forte concorrência da China, tem enfraquecido, nos últimos anos, as maquiladoras, devido à sua abundância de mão-de-obra barata.