Author Archives: Xano

Trust in Government

Crise, qual crise?

 

Bento XVI

De geração em geração, o sacrificio exige-se para combater a crise.É assim em Portugal, desde que me conheço. Porém, a Visita do Papa Bento XVI, veio mostrar  uma realidade diferente. Veio mostrar um País que é um exemplo a  seguir no mundo, no que toca a organizar e a gastar fortunas em  festas. Ora vejamos, os funcionários públicos , tem tolerância de ponto no dia 13 de Maio, os  metros funcionam a cotas-gotas, algumas ruas vão estar fechadas, policiamento ao Papa, fogo artificio,  gastos com a organização da cerimónia no Terreiro do Paço e em Fátima, somando isto, segundo a estimativa divulgada, por  alguns meios da comunicação de social, perfaz um valor total a rondar os 75 milhões de euros. Depois de acabada a dita festa,  voltaremos a cair na realidade, de que afinal os impostos vão aumentar talvez para 22%,  haverá tributação ao 13º mês dos trabalhores portugueses, como medidas para reduzir  o défice.  Vivemos constantemente na antinomia, entre o fazer e o dizer. 

  

Gordon Brown, deixa a liderança dos Trabalhistas.

Gordon Brown

O primeiro-ministro inglês, Gordon Brown pediu ontem a demissão da liderança do Partido Trabalhista, com vista, a viabilizar o acordo entre os Trabalhistas e os liberais-democratas liderados por Nick Clegg, para uma eventual formação de uma coligação progressista para governar o Reino Unido. Recorda-se, que Nick Clegg, afirmou que para poder haver um eventual acordo entre trabalhista e liberais-democratas, era essencial a saída de Gordon Brown. Entretanto, até a formação de uma maioria parlamentar, Gordon Brown irá manter-se como primeiro-ministro.

A visita de Bento XVI

 

Papa Bento XVI

Ainda falta 4 dias para a visita do Papa Bento XVI, mas a sua visita, já suscita  grande movimentação, por Lisboa, Fátima e Porto, por esta ordem, as cidades que o Papa vai visitar. A segurança do Papa é a principal preocupação das autoridades. Depois da tentativa de assassinato a João Paulo II em Fátima a 12 Maio de 1982, as autoridades receiam, outra tentativa de assassínio.Para salvaguardar, a integridade fisica do Papa Bento XVI, a policia vai fechar algumas artérias de Lisboa e do Porto, limitar os estacionamentos nas ruas paralelas à rua onde o Papa irá passar, retirar os ecopontos localizados no trajecto que o Papa fará, apoio da Força Área, video-vigilância, ect… Eu diria,  um aparato megalómano, se tiver-mos em conta , a visita quase despercebida de Dalai Lama.

Quando as perguntas são inconvenientes o melhor é…confiscar gravadores

Assim é que é deputado Ricardo Rodrigues! Fugir ou como neste caso, confiscar gravadores, é o melhor remédio quando as perguntas são inconvenientes.

Que futuro para o Iraque, segundo Fred Halliday

MEMÓRIA DO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DO TARRAFAL

Exposição Documental 
Curadoria: Alfredo Caldeira
17 de Abril a 29 de Agosto

Patente desde 2009, no Tarrafal (Cabo Verde), numa iniciativa da responsabilidade da Fundação Mário Soares e da Fundação Amílcar Cabral, a Exposição “Memória do Campo de Concentração do Tarrafal”, constitui legado histórico da maior importância. No Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, de 17 de Abril a 29 de Agosto, teremos oportunidade de conhecer uma nova produção museográfica baseada nesta exposição, que trará até nós novos objectos documentais, enquadrando a temática da nossa memória política na perspectiva da interpretação historiográfica portuguesa.

in”http://www2.cm-vfxira.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=72832

O fracasso dos Piigs

Ora nem mais.

Cuba e as Greves de fome.

 Nos últimos meses, Cuba tem sido noticia pelos casos de greve de fome, primeiro protagonizado, por Zapata e agora por Fariñas. Em relação a este assunto, penso que tem havido muito aproveitamento, por parte dos media e também de alguns governos, que tentam pregoar o moralismo, em relação aos direitos humanos, quando tem situações muito piores no seu território por resolver(Guantánamo, por exemplo). Penso igualmente que tem havido muita deturpação em relação a este assunto, pelas seguintes razões. 1- Zapata nem sequer era prisioneiro politico, não consta nos relatórios da ONU. 2 – foi preso por delito e por agressões a um vizinho com um machado. 3- a sua pena foi ampliada, por conduta agressiva na prisão. 4- Foi assistido artificialmente pelos médicos cubanos na tentativa de salvá-lo, não foi abandonado, como se diz por ai. 5- Se o governo cubano ceder, a moda pega, aliás já está a pegar, com o caso Fariñas, podendo levar à queda do regime comunista. Por último deixo-vos uma interrogação, se um americano, iniciasse uma greve de fome, para libertar  os prisioneiros de Guantánamo, encarcerados sem provas, naquele naco de território cubano,  acham que o governo americano cederia?

O 36º aniversário da Revolução dos Cravos

«De tudo o que Abril abriu
ainda pouco se disse
um menino que sorriu
uma porta que se abrisse
um fruto que se expandiu
um pão que se repartisse
um capitão que seguiu
o que a história lhe predisse
e entre vinhas sobredos
vales socalcos searas
serras atalhos veredas
lezírias e praias claras
um povo que levantava
sobre um rio de pobreza
a bandeira em que ondulava
a sua própria grandeza!
De tudo o que Abril abriu

ainda pouco se disse
e só nos faltava agora
que este Abril não se cumprisse.
Só nos faltava que os cães
viessem ferrar o dente
na carne dos capitães
que se arriscaram na frente.»
José Carlos Ary dos Santos, “As Portas que Abril Abriu

AI e HRW solidários com Baltasar Garzón

A organização internacional de Defesa dos Direitos Humanos, a Human Rights Watch, manisfestou hoje, junto do Presidente da Conselho da União Europeia,  a sua preocupação, quanto à eventual suspensão do conceituado Juiz espanhol Baltasar Garzón”por investigar as violações dos direitos humanos, cometidos durante a ditadura franquista”. A HRW, argumenta que Garzón, tem feito esforços, para se fazer justiça, às  vitimas de violações humanas no plano internacional, por isso não há razões para castigar Garzón,  por tentar fazer o mesmo no seu próprio País”. Já a Aministia Internacional, afirma, “que investigar desaparecidos, execuções extrajudiciais e casos de tortura, nunca deveria ser tratado como um acto criminoso” referindo-se à possivel suspensão de Baltasar Garzón.

Por incrivel que pareça, ainda existem agentes da justiça( e ao que parece com a cumplicidade/passividade do governo espanhol e da União Europeia) que são entrave ao trabalho desenvolvido por outros colegas, cujo o único crime que cometeram,  foi ter “remexido” no passado. No caso de Baltasar Garzón, o problema, é a sua imparcialidade, a sua honestidade e a sua transparência, quando desenvolve uma investigação. Não olha a individuos, nem à sua posição social, não olha a países, nem à sua posição mundial. É por isto que paises, com um “passa-montanhas” tentam urgentemente silenciar este Juiz, antes que se descobra, algo que os comprometa.

Gerald Cohen: Em busca de uma alternativa socialista

“O Socialismo”, disse Albert Einstein, é a tentativa da humanidade “superar e sobrepujar a fase predatória da evolução humana”; e, para Gerald. A. Cohen, “todo mercado (…) é um sistema predatório”. Tal é a essência de seu último livro, breve porém incisivo e elegantemente escrito (Cohen morreu em agosto passado). Seu propósito é assentar o que chama de as bases “preliminares” – uma tentativa que, afinal, bem poderia chegar a ser derrotada por realidades inexoráveis – de uma alternativa socialista. É desejável, pergunta-se, e se desejável, factível, construir uma sociedade movida por algo que não seja a predação, que não responda às motivações “mesquinhas”, “baixas”, “repugnantes” do mercado, mas que esteja antes dirigida por um compromisso moral com a comunidade e com a igualdade?

Em seu estilo caracteristicamente lúcido, comprometido e delicadamente humorístico, Cohen começa imaginando um grupo de pessoas numa excursão para um camping. Nessas circunstâncias, sugere que a maioria das pessoas seriam “vigorosamente a favor de uma forma socialista de vida, preferindo-a outras alternativas factíveis”, comportando-se assim, pois, conforme aos princípios de igualdade e de comunidade, muito distintos dos que governam o comportamento normal no mercado. A questão é se esses princípios do acampamento poderiam ou deveriam ser postos em prática por obra do conjunto da sociedade. Na sua opinião, isso seria desejável para evitar os resultados necessariamente injustos dos mecanismos de mercado e as desigualdades que os acompanha. Mas é factivel?

[…]
 
 
Cohen foca na idéia do “socialismo de mercado”, um sistema que estaria ainda fundado no mecanismo de preços, mas que evitaria a concentração de capital que gera o grosso das desigualdades do mercado capitalista. Isso, para ele, seria melhor que nada. É “o gênio do mercado que recruta motivações de baixa qualidade para fins desejáveis”; mas, o que os socialistas de mercado esquecem é que também há efeitos indesejáveis e que também esse seu tipo de mercado se orienta conforme esses motivos “mesquinhos”. Assim, pois, ele preferiria seguir buscando um meio de obter efeitos econômicos produtivos fundado em outras motivações.

 
Ver na íntegra

A"avó" do movimento feminista nos EUA, morre aos 98 anos

Assistente social de formação, Dorothy Height começou a sua luta pelos direitos civis e a igualdade de sexo na década de 1930, actuando para evitar os linchamentos, proibir a segregação nas Forças Armadas dos EUA, reformar o processo penal e promover o livre acesso a instituições públicas no País. Dorothy Height foi possivelmente a mulher mais influente nos altos escalões de liderança dos direitos civis, mas nunca atraiu a atenção da grande imprensa, que conferiu celebridade e reconhecimento a outros líderes dos direitos civis da sua época. Em 1994, o então presidente Bill Clinton concedeu-lhe a Medalha Presidencial da Liberdade, maior condecoração para um civil dos EUA. Em 2004, Height voltou a ser condencorada, desta vez, com a Medalha de Ouro do Congresso. Acabou por falecer hoje, aos 98 anos.